terça-feira, 13 de junho de 2017

Guerra na Assembleia: PSD dá ultimato a Gony e Baquit e ameaça expulsá-los por infidelidade


A Comissão Executiva Estadual do PSD deliberou pela recondução imediata do deputado estadual Leonardo Araújo (PMDB)  como líder do bloco de oposição na Assembleia Legislativa. Araújo foi destituído por decisão da maioria dos parlamentares do bloco formado pelo PMDB, PMB e PSD. Seis deputados estaduais (Osmar Baquit, Gony Arruda, Dra. Silvana, Agenor Neto, Audic Mota e Bethrose), que formam a maioria do bloco, romperam com as diretrizes traçadas pelo ex-vice-governador e atual presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Domingos Filho, e se a liaram ao Governo do Estado,
O grupo indicou a Dra. Silvana para líder do bloco. Silvana, ao assumir a missão em sintonia com o Governo do Estado, destituiu o deputado Leonardo Araújo da relatoria da PEC que extingue o TCM, assim como o deputado Joaquim Noronha da relatoria da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias). Como resposta, o comando do PSD exige a volta de Leonardo ao cargo de relator da PEC. 
 A Proposta de Emenda à Constituição do Estado (PEC), de iniciativa do deputado estadual Heitor Férrer (PSB), tem apoio da maioria dos governistas e representa mais uma fase da guerra travada entre o presidente do TCM, Domingos Filho, e o ex-governador Cid Gomes (PDT) e o Governador Camilo Santana (PT). Domingos se aliou ao presidente do Senado, Eunício Oliveira, e rompeu com Cid e Camilo para tentar eleger o deputado Sérgio Aguiar (PDT) presidente da Assembleia Legislativa. A briga terminou com a vitória de José Albuquerque, aliado de Cid e Camilo.
Os desdobramentos da briga nos bastidores da Assembleia Legislativa culminaram com a decisão do comando regional do PSD, anunciada nesta segunda-feira, para os deputados da sigla apoiarem a volta de Leonardo Araújo para a liderança do bloco. O bloco seria de oposição, mas está minado pela ação dos governistas que atraíram a adesão de Agenor Neto, Audic Mota e Dra Silvana, do PMDB, e de Gony Arruda, do PSD, e de Bethrose, do PMB.
A recomendação para os deputados do PSD apoiarem Leonardo Araújo é assinada pelo presidente estadual da sigla, deputado federal Domingos Neto.
A medida é considerada irrevogável e deve ser cumprida mediante notificação à liderança do partido e aos demais parlamentares que compõem o PSD. Foram notificados os deputados estaduais Osmar Baquit, Roberto Mesquita e Gony Arruda. A decisão está fundamentada no artigo 58 do estatuto do PSD. O descumprimento da deliberação partidária, segundo o comando regional do PSD, poderá acarretar em perda dos mandatos eletivos dos deputados infiéis.