quarta-feira, 8 de março de 2017

Deputadas cearenses apontam desafios da mulher na atualidade


Diante das comemorações para o Dia Internacional da Mulher, comemorado hoje, 8 de março, deputadas estaduais cearenses destacam os desafios enfrentados pela mulher na sociedade contemporânea. Independente das conquistas obtidas, seja na garantia de direitos ou na inserção em espaços antes ocupados quase exclusivamente pelos homens, as parlamentares acreditam que ainda há muito o que ser conquistado.
Para a deputada Bethrose (PMB), a inserção da mulher no mundo político é apontada como um dos grandes desafios na atualidade. “Precisamos garantir cada vez mais mulheres na vida pública. É preciso incentivar a sua participação nas disputas políticas e uma representação no Parlamento e no Executivo cada vez maior do público feminino, até como forma de pautarmos questões hoje fundamentais para a sociedade, como políticas públicas para crianças e adolescentes, idosos e para as próprias mulheres, colaborando assim na construção de uma sociedade mais justa e igualitária”, ressalta.
Bethrose enfatiza que a mulher tem um olhar mais sensível para questões relacionadas à qualidade de vida de crianças, adolescentes e idosos. “Os homens que me desculpem, mas temos sensibilidade maior para debater questões relacionadas a esses segmentos portadores de direitos, mas que ainda são tão carentes de políticas públicas que garantam a realização desses direitos”, pontua.

Já a deputada Fernanda Pessoa (PR) aponta “o empoderamento no mercado de trabalho” como um dos principais desafios da mulher moderna. “Um dos objetivos determinados pela ONU Mulheres é a inserção da mulher no mercado. Estaremos inclusive nos mobilizando através de encontros, debates e na aplicação efetiva de políticas públicas para esse objetivo”, afirma.
Segundo a parlamentar, outro problema ainda enfrentado pelo segmento feminino é a violência de gênero. “Os mecanismos de proteção à mulher são importantes e contribuem na garantia do respeito e da cidadania, mas estão longe de serem perfeitos. A Lei Maria da Penha encoraja as mulheres a denunciarem a agressão, por exemplo, mas ainda vivemos em uma sociedade machista, que impede o crescimento pleno das mulheres no trabalho”, destaca.

Previdência
Tanto Fernanda Pessoa como a deputada Dra. Silvana (PMDB) criticam a reforma da previdência em tramitação na Câmara Federal, por igualar o tempo de aposentadoria dos homens e mulheres. “É grave. Querem acabar com anos de conquistas trabalhistas das mulheres. Nós, mulheres, temos funções redobradas, triplicadas. Não é justo que precisemos nos aposentar tardiamente”, argumenta.
A deputada Dra. Silvana cita que homens e mulheres são diferentes biologicamente, portanto a mulher deve ser tratada como um vaso mais frágil. “É um absurdo querer igualar o tempo de aposentadoria do homem e da mulher, por exemplo. A mulher tem muitos afazeres em casa, com os filhos. As exigências femininas no seio familiar são maiores. Não existe essa igualdade de gênero. A mulher precisa ser resguardada”, defende.
A peemedebista também enfatiza a importância da participação da mulher na política. “A mulher precisa desbravar, lutar e querer ocupar os lugares na sociedade, não através de cotas, mas com a força de vontade de fazer a diferença”, observou. Ela lamenta ainda a violência contra a mulher. “Os mecanismos para evitar a violência ajudam, como a Lei Maria da Penha, mas não são suficientes. Precisamos educar desde pequenos a sociedade, mostrar o valor da família e ensinar a importância da moral, dos valores e respeito pelo outro”, diz.