sexta-feira, 21 de abril de 2017

Lula é o presidenciável com maior potencial de votos, afirma Ibope


Uma pesquisa inédita do Ibope revelou nesta quinta-feira, 20, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é o presidenciável com o maior potencial entre nove nomes testados pelo instituto.
Segundo o estudo, 30% dos eleitores afirmaram que votariam nele com certeza e outros 17% disseram que poderiam votar no petista. É a primeira vez desde 2015 que o número de potenciais eleitores se equipara aos 51% de eleitores que não votariam nele de jeito nenhum – a taxa de rejeição de Lula caiu 14% desde o impeachment de Dilma Rousseff.
Os números colocam Lula à frente dos três principais nomes do PSDB, que vez viram seu potencial de voto diminuir nos 18 meses. O número de potenciais eleitores do senador Aécio Neves (PSDB-MG) despencou de 41% para 22%. Já o potencial eleitorado do senador José Serra (PSDB-SP) caiu de 32% para 25%, e o do governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) foi de 29% para 22%. Além disso, os três tucanos registraram uma rejeição maior que a do petista: 62%, 58% e 54%, respectivamente.
A pesquisa testou pela primeira vez o nome do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), em uma eventual eleição presidencial. Apesar de menos conhecido que os seus colegas de partido (44% de desconhecimento, contra 24% de Alckmin e 16% de Serra e Aécio), Doria já tem 24% de potenciais eleitores (contando os que votariam com certeza e os que poderiam votar) e tem uma taxa de rejeição de 32%, a menor entre os possíveis candidatos do PSDB.
A pesquisa do Ibope foi feita antes de vir a público a lista do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, com as delações de executivos da Odebrecht que acusam Lula de corrupção, além de dezenas de outros políticos. Ela foi realizada entre os dias 7 e 11 de abril, com 2.002 entrevistados, em 143 municípios.
Outros nomes
Assim como os principais nomes do PSDB, a ex-ministra Marina Silva (Rede) também vêm sofrendo com a queda no potencial de votos e aumento na rejeição. Atualmente, Marina tem a preferência de apenas um terço dos eleitores – em 2015 eram 39%.
Outros nomes que também figuram na lista de possíveis candidatos presidenciáveis são o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ).
O ministro, que conduziu os julgamentos do escândalo do mensalão, aparece com 24% de potenciais votos e 32% de rejeição, uma das menores entre os testados pelo Ibope. Já Bolsonaro registra 17% de possíveis eleitores, 6% a mais desde o ano passado. No entanto, sua taxa de rejeição disparou de 34% para 42%.