terça-feira, 18 de abril de 2017

Aliados estão divididos sobre apoio a Camilo Santana em 2018


Se por um lado PRB ameaça lançar candidatura própria, por outro, o PCdoB já admite a manutenção da aliança com o governador Camilo Santana (PT), que até o momento é considerado um “candidato natural” para disputar a reeleição. O jornal O Estado conversou com liderança da duas siglas sobre processo de reorganização de suas estratégias de olho na disputa eleitoral de 2018.
Segundo o deputado federal Ronaldo Martins, o PRB deverá ter candidato próprio ao Governo do Ceará, nas eleições de outubro do ano que vem. O presidente estadual do partido explicou que, até agora, essa é a orientação da direção nacional, que trabalha para lançar candidatura própria em vários estados brasileiros.
“Nós vamos ter novidades em 2018 no Ceará e uma delas poderá ser a nossa candidatura ao Governo do Estado, que poderá ser confirmada no fim deste ano ou no começo do outro ano”, adiantou ele. Sem detalhar muito as orientações, Martins explicou ter se colocado à disposição para disputar o cargo, mas a escolha definitiva será realizada, em momento oportuno, pelo direção da legenda no Ceará.
Entretanto, admitiu ele, já iniciou conversa com algumas lideranças partidárias sobre possível candidatura ao Governo do Estado. “Nós conhecemos todas as necessidades do Ceará, principalmente as do interior, para fazermos uma agenda para expor o que poderá ser feito na campanha do ano que vem para que o Estado possa crescer a altura das necessidades”, confessa.

Em 2012, o PRB lançou candidatura própria à Prefeitura de Fortaleza. E no segundo turno acabou apoiando o prefeito Roberto Cláudio (PDT). Apesar das articulações, curiosamente, o partido integra a base de apoio de Camilo Santana.
Ainda segundo Martins, além das costuras visando a disputa pelo Palácio da Abolição, a sigla está se preparando para desenvolver, mais adiante, encontros regionais e, assim, preparar seus candidatos para disputar vagas na Assembleia Legislativa, Câmara Federal e, até mesmo, uma das vagas ao Senado – em 2018 serão duas vagas.


Apoio
 
Já o PCdoB deve se manter firme na base aliada de Camilo Santana. Pelo menos, é o que indica o deputado federal Chico Lopes. Atualmente, a legenda está à frente da Secretaria da Ciência e Tecnologia com o ex-senador Inácio Arruda. Sem entrar em detalhes, o parlamentar disse que “o problema do Ceará é a política”, uma vez que correligionários de Camilo não ajudam no desenvolvimento do Estado. Por outro lado, observa que a legenda precisa se pacificar e unir-se em favor próprio.
Segundo o comunista, o PCdoB não vai deixar de apoiar o governo de Camilo Santana e também não ficará fora da aliança para a reeleição do atual gestor. “Só um motivo forte fará a sigla seguir o caminho oposto”. E disse mais: “criticar não significa rompimento e, sim, uma ajuda muito grande para melhorar mais ainda aquilo que não está bom”.


(com informações da Tarcísio Colares).