quarta-feira, 12 de abril de 2017

Camilo cobra agilidade de construtora responsável pelo VLT


O governador Camilo Santana cobrou, publicamente, responsabilidade das empresas contratadas para a obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), no trecho localizado entre a Avenida Borges de Melo até Avenida Santos Dumont, em Fortaleza. Ao responder um internauta, na tarde de ontem, durante bate-papo pela sua página pessoal no Facebook, Camilo deixou escapar que a construtora tem lhe dado “dor de cabeça” e que, inclusive, se reúne “semanalmente” com representantes da empresa para cobrar a conclusão da obra.
Camilo destacou, ainda, que o projeto é uma prioridade da atual gestão e que pretende entregar o trecho até janeiro de 2018. O chefe do Executivo Estadual tem utilizado as redes sociais para conversar com internautas todas às terças-feiras.
“Realidade, eu queria que esta obra estivesse mais acelerada. É uma obra que não é fácil. Estamos fazendo uma realocação de quase três mil famílias, que moram ao longo do trecho. Isso exige diálogo com cada família. Já está pronto o trecho da Parangaba até Avenida Borges de Melo, e está em fase de teste. Da Borges de Melo até Santos Dumont, a obra está em andamento. Problema é a região do Lagamar, trecho ali do São João do Tauape. Mas, realmente, está empresa me dar uma dor de cabeça grande. Todo mês eu aperto a empresa”, frisou ele, acrescentando que “pretendo entregar até janeiro de 2018. Estou trabalhando muito para isso”.
Metrô
O governador também salientou que as obras da linha leste do Metrô continuam paradas devido a impasse com o governo federal e informou sobre a sua atuação junto à bancada federal e senadores para retomada da obra. “Não foi retomada porque o Governo Federal não tem mais R$ 1 bilhão. Busquei a bancada federal, os senadores Tasso Jereissati, que me acompanhou até o ministério, e Eunício Oliveira. Só não conversei ainda com Pimentel. É importante que a União se sensibilize, pois é uma obra importante para mobilidade urbana da cidade de Fortaleza”, disse ele. “Não queremos dinheiro novo, mas queremos a garantia”.
Paralisada desde 2014, após alteração no consórcio responsável pela execução das obras, a Linha Leste do Metrô continua apenas no papel. Com um investimento de 2 bilhões e 300 milhões de reais, o trecho que vai ligar o Centro ao bairro Edson Queiroz, acumula material enferrujado e abandono.

“Surpresa”
Camilo Santana afirmou, também, que manterá as visitas surpresas, assim como fez, na semana passada, à Unidade de Pronto Atendimento do Bairro José Walter. Durante visita a UPA, na semana passada, o governador reclamou da limpeza do local. “Vou fazer mais. Nada melhor do que ver o problema e conversar com a população. Inclusive, esta tem sido minha orientação aos secretários. O secretário da segurança [André Costa] tem feito isso de forma permanente. Eu farei isso de forma surpresa” disse Camilo, ressaltando que “o lugar que menos gosto de ficar é o gabinete”.

Aumento
O gestor ainda foi questionado sobre assuntos relacionados a área da educação. Ele anunciou a concessão do aumento remuneratório ao magistério estadual e disse que a mensagem está sendo finalizada para ser encaminhada à Assembleia Legislativa. O aumento, segundo ele, garante o pagamento do piso nacional dos professores. Ele lembrou também que, em janeiro, concedeu um salário extra a categoria, como reconhecimento do trabalho prestado aos jovens cearenses.