terça-feira, 11 de abril de 2017

CUT articula pressão contra reformas do Governo Temer

 


“A CUT nacional já está desenvolvendo trabalho para conclamar os trabalhadores de todo o Brasil, para uma greve geral marcada para acontecer no próximo dia 28 deste mês”. A informação é de Graça Costa, secretária de Relações do Trabalho da CUT nacional, que viajou a Brasília onde vai receber orientações sobre os preparativos do evento.
A sindicalista explica que a greve geral representa um protesto contra as reformas previdenciária, trabalhista e ao projeto de terceirização que já foi aprovado pela Câmara Federal. “Essas são as principais questões do atual momento e a CUT vai lutar, junto aos trabalhadores brasileiros, para que esses projetos do governo do presidente Michel Temer sejam derrubados pelo Congresso”, enfatiza.
Segundo ela, o Governo Temer deve apresentar, amanhã, o primeiro relatório da proposta de reforma trabalhista “e isso não passa em branco, porque os trabalhadores vão questionar para que haja mudança”. Graça Costa lembra que a votação da matéria está prevista para acontecer no próximo dia 19 de abril, “sendo que no dia 18, vai ser apresentado o relatório da reforma da Previdência na comissão especial”.
“Nós estamos conclamando o povo para que compareça às ruas para fazer um movimento contra essas reformas nos dias 18, 19 e 28 de abril, para impedir essa votação que nós entendemos que é um desmonte do estado brasileiro e é, também, um desmonte de todos os direitos que tanto lutamos para conquistar e não queremos perder agora”, dispara.
A representante da CUT Ceará informa que a “principal pressão” que será promovida pelos trabalhadores diz respeito a atuação dos deputados federais “para que eles não aprovem essas reformas que vão causar muitas dificuldades para todos os brasileiros, principalmente os trabalhadores”. Essa “pressão”, explica, agora “é em cima daqueles que fazem parte da comissão tanto da reforma da Previdência quanto da Trabalhista”. 

(Com informações de Tarcísio Colares)