quinta-feira, 6 de julho de 2017

Deputada Augusta Brito ressalta ações da Procuradoria da Mulher


A deputada Augusta Brito (PCdoB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, ontem, para registrar os cinco anos da Procuradoria Especial da Mulher, comemorados no último dia 3 de julho. Conforme a parlamentar, a Procuradoria nasceu da necessidade objetiva da Casa legislativa cumprir sua função essencial, fiscalizando os direitos e representando a mulher cearense.
“Neste momento em que a Procuradoria completa cinco anos, infelizmente não temos muito o que comemorar. Enquanto buscamos fortalecer as políticas públicas para as mulheres, o que vemos é um desmonte nacional dessas políticas, vemos o machismo crescente em nossa sociedade e o agravamento da violência contra nós, mulheres”, disse.
A deputada explicou que a Procuradoria tem a finalidade de zelar pela participação das deputadas nos órgãos e atividades da Assembleia Legislativa, em colaboração com a Mesa Diretora. Além de cooperar com organismos nacionais e internacionais, públicos e privados, voltados à implementação de políticas públicas para as mulheres.
“Mais do que isso, tem a função de fortalecer a rede de atendimento à mulher vítima de violência”, esclareceu.
Augusta Brito, que assumiu a Procuradoria em março deste ano, afirmou que o desafio é trabalhar incansavelmente para que os casos de feminicídio diminuam o mais rápido possível. “Somente juntos poderemos alcançar uma sociedade mais justa para todas e todos.”
Caravana
A parlamentar informou que, em maio deste ano, foi iniciada a Caravana de Combate à Violência contra a Mulher nas escolas estaduais, “um processo de formiguinha, mas extremamente necessário para que haja a redução do machismo e a ampliação do respeito com as mulheres e com as diferenças”.
Augusta Brito lembrou que a deputada Raquel Marques (PT), a primeira procuradora da mulher, realizou a caravana em seu primeiro mandato, sendo ampliada neste ano. “Nós estamos ampliando para todo o Estado, numa parceria inédita com o Governo do Estado, representado pelas coordenadorias da Mulher e da Juventude e Secretaria de Educação”, explicou.